domingo, 18 de setembro de 2011

PENSAMENTO 11/09/1999

         



Vou parar de marcar os dias.

Para que contar o tempo?

Cada hora:

É lebre que corre

Pra boca do lobo.



Cada minuto:

É a fila do gado

Na laje do matadouro.



Cada instante:

É o relâmpago

Que alumia o poente,

Queima a arvore no pasto

Nas cinzas do ocaso.

Encobrindo voce.

Um comentário: