quarta-feira, 15 de agosto de 2012

sempre viva - recordações


SEMPRE VIVA: RECORDAÇÕES






Quando criança, em casa sempre havia um arranjo de Sempre Vivas na sala. Eu ficava horas admirando as flores em suas muitas cores.

Como o nome diz: Duravam muito.  Estavam sempre enfeitando e alegrando o ambiente.

Hoje não mais as encontro. Os arranjos são de flores recém-colhidas que esmaecem rapidamente. Nunca mais as vi.

Mas, lembrando-me dos amores da vida, as prefiro, elas não murcham como os buques de rosas, que oferecemos como jura de amor e pouco depois são desprezadas.

Vou encontrar as Sempre Vivas e a cada amor dar um buque duradouro e colorido.



15/08/2012

Tony-poeta




Nenhum comentário:

Postar um comentário