quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

ANCORAGEM


ANCORAGEM


 

Faço ancoragem

Na solidão

Para criar sonhos,

 

Com coragem

Continuo alerta

Entre ventos aleatórios

E tormentas do pensamento.

 

Ante os desenganos

Fantasio alegrias

Fazendo alegorias

E versos não profanos.

 

No corpo já maltratado

A mente confusa

Segui o porvir

Sempre há de surgir

Numa terra de farturas

Justificando o existir.

 

De canto em canto

Sigo a ancoragem

Não importam castigos:

Os choros, os risos...

Estou só de passagem.

 

13/12/12

Tony-poeta

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário