terça-feira, 28 de outubro de 2014

LACUNA - poema -



LACUNA


Quando o vigor da mocidade
Abandona a vida
Imediatamente
A lacuna é preenchida
Pela solidão.

E ela conversa,
É muito prosa,
Traz recordações
Que desnudas de ilusões
Dão o saber.

Triste saber
Fora de hora
Não conteve na juventude
O ímpeto que A arvora
E, com ares de sapiência
Enfrenta a mudez da fala
Ante a surdez
Dos convivas ocupados.
São jovens, estão agitados.

28/10/14

Tony - poeta

Nenhum comentário:

Postar um comentário