sábado, 3 de maio de 2014

O CARRO E A DOENÇA



O CARRO E A DOENÇA



O carro de seu Manuel ferveu. Um caro velho, já bastante rodado e submetido as condições mais desfavoráveis possíveis; uma vez que o dono trabalhou a vida toda com ele e, sempre levou uma vida ativa e agitada.
- A mangueira que leva óleo para o motor esgarçou. O óleo dividiu-a em duas e é por isso que vazou e quase fundiu o veículo, falou o mecânico.
- Preciso viajar ainda com ele, falou o proprietário. O que pode ser feito?
- Tem uma nova opção. É um remendo. Como não dá para trocar a mangueira pela posição da mesma, recobrimos o pedaço defeituoso, amarramos em cima e em baixo e dá para rodar com cuidado.
- Posso viajar?
- Depende. Colocando um aditivo para não forçar o motor, sabe está mangueira recebe toda pressão e a distribui, andando a uma temperatura ideal, ou seja, uns oitenta quilômetros por hora, no entardecer ou amanhecer, o veículo ainda aguenta um tempo.
- Certo!
- Não tente pegar a imigrantes de São Paulo para o litoral em feriado prolongado. O congestionamento pode esquentar o motor e o óleo vazar pelos pontos de remendos. Apesar deste novo material ser ótimo, nunca será igual a mangueira original e pode estourar.
- E...
- Adeus carro! Não diga que não avisei. Se eu não tivesse avisado, seria responsável por mandar seu motor para o desmanche. Estaria sendo criminoso.
Comentário, a cirurgia de aneurisma de aorta é uma metáfora desta situação do carro do Sr. Manuel. Tirem suas conclusões, mas as tire com a cabeça isenta, já que a ideologia tem a característica de cegar quem a possui. É exatamente a cegueira ideológica que promove as guerras e Holocaustos e o Genoíno é uma amostra de como ela está perigosamente se desenvolvendo no País.
Meninos juízo!

03/05/14
www.tony-poeta.blogspot.com


quarta-feira, 30 de abril de 2014

GOSTAR.



GOSTAR



Gostar
É ter medo de perder.
Perder
É um dos dois não gostar.
Como se sente o não gostar
Se a gente gosta?
Onde mora este não sentimento
Que lugar o comporta?
Gostar
Tem que ser gostar
Sem medo!

01/05/14

Imagem Google

POMBA BRANCA DE PAPEL



POMBA BRANCA DE PAPEL.



Uma pomba, lá no céu
Mero pedaço branco de papel
Gozando o sabor do mundo.
No chão, eu vagabundo
Ando de pernas tortas
Procuro achar o mundo.

Quero gozar o céu
Sair do chão e olhar
Nestes teus olhos de nascente
Quero poder anotar
Um recado de papel
Amando eternamente.

Quero ser homem papel
Como a pomba, andar no céu
Para seguir seu caminhar
Escrever nas nuvens, em seus quadrinhos
Dizeres com todo o carinho
Que faça você sonhar.

Andando no céu, ao leu
Eu, folha de papel
Flutuando docemente
Entre os bandos de maritacas
Que fazem escarcéu.

30/04/14
Imagem Google


terça-feira, 29 de abril de 2014

ELDORADO



ELDORADO


Eldorado
Talvez seja
Aquele beijo molhado
Na fronteira do tudo
E do nada
Onde inexiste o mundo.
Gotas amarelas
Agitam-se
Entre a mata
E o asfalto
Em um canto
Não mudo, nem alto
Sinto rodar
O mesmo lugar
Indefinido
Entre o dormitar tranquilo
E os monstros do sonhar.

Eldorado é procurar.

29/04/14
Imagem Google


TARDE FRIA



TARDE FRIA

Entardecer parado
Tarde fria.

Andar encolhido
Moça solitária.

Latido lamentoso
Cão vadio.

Solidão
Tarde de frio.

29/04/14

Tony-poeta

domingo, 27 de abril de 2014

DISTORCIDO



DISTORCIDO

Quero
Colocar um cristalino distorcido
Em meus olhos ressentidos
Do mal da humanidade.
Retornar
Aos sonhos coloridos
Que levei na mocidade.
Ver bosques verdes
Onde as torres avançam
Ver a vida andar
Sem fumaça negra
Ver garças voando
Entre aeroportos
E o guara vermelho
Fazendo gentilezas.
Ver o ser sorrindo brindando a vida
Sem disputas vis, sem maldades alheias.

Quero olhar distorcido
Fazer-me amante
Em rimas do destino
Com cores radiante
Amando a vida
Amando encantos
Ao menos por um instante.

27/04/14

Imagem Google